PLANTIO

PLANTIO
PLANTIO
(Genaura Tormin)

Deus,
Senhor dos mares e montes,
Das flores e fontes.
Senhor da vida!
Senhor dos meus versos,
Do meu canto.

A Ti agradeço
A força para a jornada,
A emoção da semeadura,
A alegria da colheita.

Ao celeiro,
Recolho os frutos.
Renovo a fé no trabalho justo,
Na divisão do pão,
. E do amor fraterno.

quarta-feira, 11 de março de 2009

SEMENTINHA PERSONIFICADA


SEMENTINHA PERSONIFICADA
(Genaura Tormin)

Corações unidos,
carinhos somados,
transcendência de amor
num êxtase sublimado
de um plantio querido.

E, eis A SEMENTINHA,
fagulha divina,
PERSONIFICADA no canto da alma,
ao encontro do óvulo sedento,
fecundando o rebento
numa dádiva de amor.

Nas formas maternais,
invólucro de paz,
o sorriso aflora,
as feições se divinizam,
e tudo É AMOR
nessa dualidade linda:
criatura e Criador.

O serzinho,
gentinha minúscula,
milagre do amor,
já tem sinais vitais,
pulsa o coração,
tem EMOÇÃO,
mexe as mãozinhas,
também os pezinhos
no aconchego do ventre.
E, de sua casinha
sente a TERNURA
que temos daqui.

_ Mamãe sentiu-me primeiro,
papai uniu-se orgulhoso à alegria.
Vovós,
vovôs e os peraltas titios
vibraram contentes.

Mas,
Minha titia, por ser médica,
viu que sou um homenzinho
no ventre abaulado DE minha mamãe.

Meu NOME...
logo escolheram.
É segredo.

Já tenho identidade.
Levo a firmeza da mamãe,
a inteligência do papai
e a garra dos meus avós.
Já estou prontinho!!!


Goiânia, 23 de maio de 1995

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O seu comentário significa carinho e aprovação. Fico cativada e agradeço. Volte sempre! Genaura Tormin

LEVE, LIVRE & SOLTA!


Sejam bem vindos!
Vocês alegram a minh'alma e meu coração.

Era uma luz no fim do túnel e eu não podia perder.
Era a oportunidade que me batia à porta.
Seria uma Delegada de Polícia, mesmo paraplégica!
Registrei a idéia e parti para o confronto.
Talvez o mais ousado de toda a minha vida.
Era tudo ou NADA!
(Genaura Tormin)


"Sou como a Rocha nua e crua, onde o navio bate e recua na amplidão do espaço a ermo.
Posso cair. Caio!
Mas caio de pé por cima dos meus escombros".
Embora não haja a força motora para manter-me fisicamente ereta, alicerço-me nas asas da CORAGEM, do OTIMISMO e da FÉ.

(Genaura Tormin)