PLANTIO

PLANTIO
PLANTIO
(Genaura Tormin)

Deus,
Senhor dos mares e montes,
Das flores e fontes.
Senhor da vida!
Senhor dos meus versos,
Do meu canto.

A Ti agradeço
A força para a jornada,
A emoção da semeadura,
A alegria da colheita.

Ao celeiro,
Recolho os frutos.
Renovo a fé no trabalho justo,
Na divisão do pão,
. E do amor fraterno.

sábado, 8 de abril de 2017

PENSANDO ALTO


PENSANDO ALTO
(Genaura Tormin)

Sabiam que em Évora, Portugal, tem a CAPELA DOS OSSOS (de humanos), construída pelos monges franciscanos, no século XVIII? 
Na entrada encontra-se, em letras garrafais, a inscrição:  "NÓS, OSSOS QUE AQUI ESTAMOS, PELOS VOSSOS ESPERAMOS!" 

Uma reflexão! 
Somos efêmeros passageiros! 
Bagagem às costas, esperando o momento, que sequer tem aviso prévio.
Uma fatalidade, uma desculpa, e lá  estamos nós diante do inesperado embarque. Sozinhos, sem lenço nem documento. 

Corpo? Para quê? 
Ele foi uma vestimenta que vestiu o espírito para que pudesse cumprir o seu desiderato por aqui.

O meu corpo será cremado!
Registrado em escritura pública já está, para que não hajam dúvidas.
Longe, bem longe, nem as labaredas quero ver.

Não sou esse amontoado de tecidos, ossos, músculos...
Apenas os meus atos, bons ou maus, seguir-me-ão nessa trajetória, feito uma carteira de trabalho, uma prestação de contas após uma missão.
Simples assim!


Beijos da Genaura Tormin!

LEVE, LIVRE & SOLTA!


Sejam bem vindos!
Vocês alegram a minh'alma e meu coração.

Era uma luz no fim do túnel e eu não podia perder.
Era a oportunidade que me batia à porta.
Seria uma Delegada de Polícia, mesmo paraplégica!
Registrei a idéia e parti para o confronto.
Talvez o mais ousado de toda a minha vida.
Era tudo ou NADA!
(Genaura Tormin)


"Sou como a Rocha nua e crua, onde o navio bate e recua na amplidão do espaço a ermo.
Posso cair. Caio!
Mas caio de pé por cima dos meus escombros".
Embora não haja a força motora para manter-me fisicamente ereta, alicerço-me nas asas da CORAGEM, do OTIMISMO e da FÉ.

(Genaura Tormin)