PLANTIO

PLANTIO
PLANTIO
(Genaura Tormin)

Deus,
Senhor dos mares e montes,
Das flores e fontes.
Senhor da vida!
Senhor dos meus versos,
Do meu canto.

A Ti agradeço
A força para a jornada,
A emoção da semeadura,
A alegria da colheita.

Ao celeiro,
Recolho os frutos.
Renovo a fé no trabalho justo,
Na divisão do pão,
. E do amor fraterno.

segunda-feira, 16 de março de 2009

PÉRGULAS DO DESTINO



PÉRGULAS DO DESTINO
(Genaura Tormin)

Sei que incomodo!
Estou além do meu tempo!
Construo pontes, vou às fontes,
Enfrento tornados,
Rebato o desalento,
E me faço contente.
Se brilho?
É só consequência.

Não me rendo!
As armas empunho.
Procuro sobrevivência.
Pego o meu fardo e vou seguindo,
Catarolando pelos caminhos,
Pérgulas do destino.
O coração está sereno,
A alma em paz,
E trânquila
Está a Consciência.

2 comentários:

  1. Querida Genaura! Adorei o seu blog. E só estou começando a ver... Gosto de ler tudo que você escreve, gosto dessa pessoa maravilhosa que você é... Obrigada por você existir e me deixar fazer parte dos seus amigos.
    Um abração. Bjs!!!
    Giselia.

    ResponderExcluir
  2. Bem,como suas produções de qualquer natureza são magistrais, fica difícil comentar apenas uma.Devagarzinho, vamos comentando.
    O blog ficou sensacional. Um sonho realizado, mais uma etapa vencida. A vitória haverá de lhe sorrir sempre, pois garra vc tem de sobra e "desafios" são a sua principal característica.
    Beijo grande e sucesso sempre.
    Marilândia

    ResponderExcluir

O seu comentário significa carinho e aprovação. Fico cativada e agradeço. Volte sempre! Genaura Tormin

LEVE, LIVRE & SOLTA!


Sejam bem vindos!
Vocês alegram a minh'alma e meu coração.

Era uma luz no fim do túnel e eu não podia perder.
Era a oportunidade que me batia à porta.
Seria uma Delegada de Polícia, mesmo paraplégica!
Registrei a idéia e parti para o confronto.
Talvez o mais ousado de toda a minha vida.
Era tudo ou NADA!
(Genaura Tormin)


"Sou como a Rocha nua e crua, onde o navio bate e recua na amplidão do espaço a ermo.
Posso cair. Caio!
Mas caio de pé por cima dos meus escombros".
Embora não haja a força motora para manter-me fisicamente ereta, alicerço-me nas asas da CORAGEM, do OTIMISMO e da FÉ.

(Genaura Tormin)