PLANTIO

PLANTIO
PLANTIO
(Genaura Tormin)

Deus,
Senhor dos mares e montes,
Das flores e fontes.
Senhor da vida!
Senhor dos meus versos,
Do meu canto.

A Ti agradeço
A força para a jornada,
A emoção da semeadura,
A alegria da colheita.

Ao celeiro,
Recolho os frutos.
Renovo a fé no trabalho justo,
Na divisão do pão,
. E do amor fraterno.

terça-feira, 17 de março de 2009

MENTE E CORAÇÃO ANDANTES


MENTE E CORAÇÃO ANDANTES
(Genaura Tormin)

Quero curtir minha imobilidade,
Mobilizando corações,
Marcando passadas
Em cada gesto,
Em cada grão de areia
Carreando-os para o infinito.

Quero sentir o gosto de ter pernas.
Acariciá-las, com tato dos dedos,
Mobilizando todas as moléculas.
Quero sentir-me dançando
Ao som de Beethoven ou Bach,
Transando a paz de minha paraplegia
Ao compasso do coração
E à sincronia do cérebro.

Quero andar,
Mais do que todas as pessoas,
Embora saiba que,
Se externamente não marco o chão
Com minhas pegadas,
Meu espírito se alicerça
Em pernas fortes, com mente e coração
Energicamente andantes.

2 comentários:

  1. Minha querida jovem Genaura
    O Deus esse Grande Arquiteto do Universo é a perfeição e a ele nos cabe obediência aos seus pés.
    A Mente é a poderosa arma para que possamos viver em paz e feliz.
    Muitos vivem em deficiência de nascença e outros adquiriram no decorrer de suas vidas.
    Os deficientes visuais que não puderam ver a beleza das flores, o vôo dos pássaros, o verde das matas, o azul da grandeza do oceano, as estrelas, a lua boêmia, enfim tudo que aqui foi plantado pelo Criador.
    Outros não ouvem o cantar das aves, o som das notas musicas
    Outros não falam para dizer que Amo
    Outros e mais outros estão aqui em vida e são mais felizes do que os que têm tudo e não são felizes

    Assim:
    Num conhecido diálogo entre Jerôme Lejeune, um dos maiores geneticistas do século XX, descobridor da Síndrome de Down e defensor da vida, com o médico abortista Monod durante um debate pela televisão, o prof. Lejeune perguntou:
    Lejeune: “Sabendo-se que um pai sifilítico, e uma mãe tuberculosa tiveram quatro filhos: o primeiro, cego de nascença; o segundo, morto logo após o parto; o terceiro, surdo-mudo; o quarto, tuberculoso, e que a mãe ficou grávida de um quinto filho, o que o senhor faria?”
    Monod: “Eu interromperia essa gestação”.
    Lejeune: “Então o senhor teria matado Beethoven”.
    Bach Morreu cego, a 28 de julho de 1750
    Genaura a tenho em seus versos, em seus escritos, a tenho em minha mente a força maior e mais poderosa que Deus nos presenteou.
    Sua energia move o mundo poético em beleza e paz e não com pernas passantes dos seres a ferir o mundo com suas lutas.
    Vejo hoje em meu amigo cão que me acompanha a cerca de 18 anos amigo e deitado sempre junto de mim, na alegria de me fazer festas, mas totalmente cego e nem por isso deixa de fazer suas necessidades no lugar certo quando tinha visão.
    Genaura um beijo em seu majestoso coração
    Você nos faz alegria e nos traz felicidade
    Mochiaro

    ResponderExcluir
  2. Minha querida jovem Genaura
    O Deus esse Grande Arquiteto do Universo é a perfeição e a ele nos cabe obediência aos seus pés.
    A Mente é a poderosa arma para que possamos viver em paz e feliz.
    Muitos vivem em deficiência de nascença e outros adquiriram no decorrer de suas vidas.
    Os deficientes visuais que não puderam ver a beleza das flores, o vôo dos pássaros, o verde das matas, o azul da grandeza do oceano, as estrelas, a lua boêmia, enfim tudo que aqui foi plantado pelo Criador.
    Outros não ouvem o cantar das aves, o som das notas musicas
    Outros não falam para dizer que Amo
    Outros e mais outros estão aqui em vida e são mais felizes do que os que têm tudo e não são felizes

    Assim:
    Num conhecido diálogo entre Jerôme Lejeune, um dos maiores geneticistas do século XX, descobridor da Síndrome de Down e defensor da vida, com o médico abortista Monod durante um debate pela televisão, o prof. Lejeune perguntou:
    Lejeune: “Sabendo-se que um pai sifilítico, e uma mãe tuberculosa tiveram quatro filhos: o primeiro, cego de nascença; o segundo, morto logo após o parto; o terceiro, surdo-mudo; o quarto, tuberculoso, e que a mãe ficou grávida de um quinto filho, o que o senhor faria?”
    Monod: “Eu interromperia essa gestação”.
    Lejeune: “Então o senhor teria matado Beethoven”.
    Bach Morreu cego, a 28 de julho de 1750
    Genaura a tenho em seus versos, em seus escritos, a tenho em minha mente a força maior e mais poderosa que Deus nos presenteou.
    Sua energia move o mundo poético em beleza e paz e não com pernas passantes dos seres a ferir o mundo com suas lutas.
    Vejo hoje em meu amigo cão que me acompanha a cerca de 18 anos amigo e deitado sempre junto de mim, na alegria de me fazer festas, mas totalmente cego e nem por isso deixa de fazer suas necessidades no lugar certo quando tinha visão.
    Genaura um beijo em seu majestoso coração
    Você nos faz alegria e nos traz felicidade
    Mochiaro

    ResponderExcluir

O seu comentário significa carinho e aprovação. Fico cativada e agradeço. Volte sempre! Genaura Tormin

LEVE, LIVRE & SOLTA!


Sejam bem vindos!
Vocês alegram a minh'alma e meu coração.

Era uma luz no fim do túnel e eu não podia perder.
Era a oportunidade que me batia à porta.
Seria uma Delegada de Polícia, mesmo paraplégica!
Registrei a idéia e parti para o confronto.
Talvez o mais ousado de toda a minha vida.
Era tudo ou NADA!
(Genaura Tormin)


"Sou como a Rocha nua e crua, onde o navio bate e recua na amplidão do espaço a ermo.
Posso cair. Caio!
Mas caio de pé por cima dos meus escombros".
Embora não haja a força motora para manter-me fisicamente ereta, alicerço-me nas asas da CORAGEM, do OTIMISMO e da FÉ.

(Genaura Tormin)