PLANTIO

PLANTIO
PLANTIO
(Genaura Tormin)

Deus,
Senhor dos mares e montes,
Das flores e fontes.
Senhor da vida!
Senhor dos meus versos,
Do meu canto.

A Ti agradeço
A força para a jornada,
A emoção da semeadura,
A alegria da colheita.

Ao celeiro,
Recolho os frutos.
Renovo a fé no trabalho justo,
Na divisão do pão,
. E do amor fraterno.

domingo, 10 de maio de 2020

E-book - MAROLA, VELEIRO e VENTO.

Eis MAROLA, VELEIRO E VENTO!

Um livrinho virtual, uma casinha para os poemas meus.
Um brinde ao leitor que enfeita minha vida, acalenta o meu coração,
deixando- me tão feliz! E agora, mãos à obra! Vamos velejar, sentir
o vento e ver as marolas do meu mar! E se o vento te tocar, pode
comentar. Eu vou gostar. Afinal é para vocês que canto!

Beijos da Genaura Tormin

Obs.: Pause a música do blog quando for visualizar o livro.



Para visualizar, clique na IMAGEM.

Para baixar,CLIQUE na seta abaixo:



Obs.: Quando terminar de baixar, abra a pasta de download e arraste o arquivo compactado para a área de trabalho do seu pc. Clique nele com o botão auxiliar do mouse e em "Abrir Aqui". Pronto. Já está instalado. Agora é só dar um duplo clique e ver o e-book.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

UMA HOMENAGEM MERECIDA

 
UMA HOMENAGEM PRA LÁ DE MERECIDA
(Genaura Tormin)


 Como oradora da Associação dos Delegados de Polícia, por vezes, cabia a mim certos pronunciamentos em eventos sociais da classe.
Em especial, gostaria de transcrever parte de um discurso, cuja figura maior muito me pertence: (…)
 É com muita honra que faço uso da palavra para cumprimentar os colegas delegados, aniversariantes do mês de setembro.
Em nome da classe, parabenizo-os, desejando muita paz, muita alegria em família, no trabalho e em sociedade, tornando sempre profícuas e necessárias as suas existências.
 Particularmente, dirijo os meus cumprimentos ao Dr. Alfredo Tormin, aniversariante do dia 12 deste mês primaveril.
 Homem singularmente especial que esparge semblante humilde, mas os ombros podem carregar o mundo.
Homem introspectivo num franzino corpo, invólucro da mais respeitosa sabedoria técnico/científica, além de relevantes valores positivos no direcionamento da vida.
 Ser humano combativo que sabe lapidar os percalços, transformando-os em progressob.
Dr. Alfredo, mestre, pai, irmão, sacerdote e marido.
 Força transformadora nas peripécias!
Presença constante, alento seguro em todo fim de guerra!
 As palavras são obsoletas para traduzirem esta homenagem, mas a minha vida, os avanços e sucessos são mostras fiéis das suas mãos de mestre, do seu entendimento maior que chega a divinizar-lhe as feições.
 Sou feliz por ser a sua MULHER e mãe dos seus filhos!
Parabéns!
E hoje, novamente, é o seu aniversário!
 Repito tudo que disse naquela época.
 E nesse vagar do tempo, só tenho a agradecer a Deus pela sua vida, pela nossa vida e da família maravilhosa que ELE nos permitiu construir nesta existência.
Parabéns, meu amor!
Muita paz, muita saúde, muita luz!

 ❤️
🐝🎸👏☕️👼🏽☘🎁

domingo, 11 de setembro de 2016

PARABÉNS, LARA!


Oi, Lara!
(Genaura Tormin)

Hoje o amanhecer foi maravilhosamente belo!
O sol, em raios púrpura, numa incandescência luminosa, feito facho de pedras preciosas, num bosque encantado, fazia rastros rendados no meu quarto, sob a orquestra de pássaros cantores. 
A brisa sorrateira, com seu atrevimento peculiar e gostoso, confidenciava-me lembranças, voltava-me ao passado, e eu senti em meus braços o maior presente que uma mulher possa almejar: um filho! 
E esse filho era Você! 
Linda, esperta, olhinhos buliçosos... 
O bebê mais bonito daquele dia! 
E até hoje, ouso dizer sem medo de errar: Uma linda mulher, dona de todas as virtudes e do amor incondicional que a tudo cura, a tudo dá um jeito.
Sabe, foi justamente no mês das flores! Na primavera do amor.
Naquela época eu me sentia uma rainha ao dizer e sentir: “Quando setembro vier”! 
O ventre abaulado, para mim, era um orgulho, uma centelha do amor de Deus que eu carregava em mim.
E setembro veio, tão lindo, tão encantador como esta manhã.
Era a minha estreia nesse maravilhoso ministério de ser mãe. Nesse exacerbado jeito de amar. 
Embora tenha-se passado  muitas luas, muitos verões, eu ainda guardo todos os detalhes, todos os encantamentos, do antes, do depois e do AGORA.
Hoje é o seu aniversário, FILHA!
Elevo minha prece ao Criador para, de joelhos, agradecer. 
Não há ser humano mais feliz do eu! 
Pude meus filhos parir, e com eles crescer nessa tão linda aventura que chamamos de vida.
Com você aprendi tanto e aprendo sempre até hoje!
Família é o elo de amor que une, cala e consola! 
É a oficina para o exercício do amor, da sublimação rumo ao que Deus espera da gente nessa pós-graduação que aqui estamos a fazer. 
Aqui estou para, mais uma vez, abraça-la e ratificar o tão grande amor que nos une.
Que Deus a abençoe sempre, iluminando os seus caminhos, gerindo a sua vida! Que o fardo seja leve e o jugo não oprima.
Muita paz, muita alegria no seio dessa linda família que Deus lhe permitiu construir!
Parabéns, minha filha!
Feliz Aniversário!
Beijos dos seus pais:

Genaura e Alfredo
Gyn. 11.09.2016

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

PROFISSIONAL DE PORTAS



PROFISSIONAL DE PORTAS
(Genaura Tormin)

Eu tinha que cantar!
Não sabia por quanto tempo.
O coração agasalhava o medo.
Tudo atirado ao caos,
Parecia matar-me a alma.

Não havia portas,
Nem janelas.
Eu as teria que fabricar,
Jogar o jogo do contente
E seguir em frente!

O lar cheio de algazarras,
Risadas e alaridos
Havia ficado triste
Em rostinhos inocentes.
Um tornado havia passado
E sem dó desarrumado
O que eu havia colecionado.
Por isso,
Eu tinha que cantar!

Pus-me no trabalho!
Juntei os cacos,
Estanquei lágrimas
E fiz-me forte aos rigores do frio.
Teria que carpir portas!

Hoje,
Abro a janela tempo
E converso com o vento,
Que me açoita os cabelos brancos.

Revejo os feitos e concluo:
Fui uma profissional de portas!
Serviço bom e bem feito.
Por isso,
Eu hoje canto e agradeço!
Tenho mais do que preciso e mereço!

quarta-feira, 13 de julho de 2016

NOTA DE PESAR A UMA AMIGA


NOTA DE PESAR A UMA AMIGA
(Genaura Tormin(

Querida Zoélia,

Junto-me a você nesse momento.
Empresto-lhe o ombro, o colo e o coração em prece.
Quero dizer-lhe que hoje, no céu, há festa pela chegada de sua mãe.
Ela não morreu! Apenas partiu primeiro.
Somos espíritos imortais e aqui estamos a serviço, numa experiência humana.
O corpo físico é apenas uma vestimenta, um invólucro, um embrulho para propiciar essa nossa estada por aqui. 

Essa excursão tem prazo e hora marcados para o término na Agenda do Criador.  
Os motivos são ferramentas a serviço da Lei Maior.
Era chegada a hora do embarque de sua mãe! 
Ela, há muito o esperava no caís! 
A missão estava cumprida! E bem cumprida!

Construiu uma família linda e a educou pelos veios do amor e do bem servir, entregando-a a Deus todos os dias. 
A prova de seus passos ficará para os coevos e pósteros, multiplicando-se em valores morais que marcarão um tempo. Como cascata de amor, jorrará por muitas gerações, melhorando o porvir.

E hoje, dona Joaquina se foi em paz, sutil, como num farfalhar de asas. Retornou à Casa do Pai!
Justamente no mês de julho! No mês de férias! 

Foi encontrar-se com o CRIADOR DE VIDAS, falar dos amores, dos filhos, dos netos, da existência... Foi entregar a Ele  o relatório da missão que cumpriu por aqui. 
Ela está muito bem, agora, passeando por outras paragens, sem o peso de sua farda de carne,  revendo outras maravilhas, tendo por cicerones os entes queridos que lá estão e que a esperavam com saudades.

Aqui, dona Quinô (como é carinhosamente chamada), foi uma pregoeira do bem, uma mulher aguerrida, feliz, contente! Uma exímia vencedora  de obstáculos, que dela fizeram um gigante na arte de amar e servir. 
Um exemplo a ser seguido! 

Um legado para todos que tiveram o prazer de com ela conviver.
Felizes os que a chamaram de MÃE, de VOVÓ, de amiga! 
O amor vazava distâncias para alcançar filhos e netos, estampado sempre em mimos, que perpetuavam esse elo de sangue, florindo o afeto, espargindo carinho.   
Ela era um ser humano especial, um espírito predestinado que aqui aportou para fazer a diferença. 

No final do dia, às primeiras horas de hoje, recolheu-se à Casa do Pai, a sua verdadeira Pátria.
Mesmo sabendo da continuidade da VIDA  e acreditando nos designios de Deus, quedamos-nos abatidos diante da partida.

Tudo fica revirado. Parece um tornado que desarruma sem dó a cumeeira de nossa casa.
O que conforta é a certeza do reencontro, pois, apenas a farda desgastada aqui fica para voltar ao pó, enquanto o espirito eclode feliz e faceiro rumo à outra dimensão da Vida.
Por isso, amiga querida, pegue seu fardo e siga!
Para a saudade não há conserto, nem remédio. 

Ela restará cortante e terá lugar cativo em nossos corações.
Somos seres gregários e gratos, especialmente a quem nos trouxe à luz da vida, ensinando-nos a caminhar, acudindo-nos nas quedas e encaminhando-nos na senda do bem e do amor.

Num corpo etéreo, sua mãe estará por aqui a cuidar de suas crias como sempre o fizera. Pense nisso!
Saudades! 
Resta-me, apenas, dizer: Conte conosco! 

Genaura Tormin e família
Gyn, 13.07.2016 


FAÇO ANIVERSÁRIO DE NOVO



NOVAMENTE FAÇO ANIVERSÁRIO
(Genaura Tormin)

Setenta e um anos,
Bem vividos.
Não omito a minha idade.
Legado de muita luta
Que significa felicidade.

O espelho já não é o mesmo.
Não me aplaude sorridente!
As marcas se estampam
Feito pérolas diferentes.

O rigor do tempo
Verga-me a silhueta,
Mas eretas estão a alma e a coragem,
Para concluir com galhardia
Essa viagem.

A valentia é a minha arma,
O otimismo, o guia
E o amor me redime
No dorso da poesia.

Muitos mestres
Ensinaram-me a viver!
Do trabalho fiz prece,
Refúgio, meta, rumo,
Escadas para a dignidade.

Sai pela compulsória!
Para descansar,
Tenho a eternidade.
Quantos aniversários ainda farei?

Irmã da natureza,
A existência é finita!
Perece para renascer.
Posto-me de joelhos
E agradeço.
É o meu aniversário!

segunda-feira, 13 de junho de 2016

DIA DOS NAMORADOS - 2016



DIA DOS NAMORADOS

Alfredo querido,

Mais um dia dos namorados e nós aqui juntinhos, campeões de nós mesmos nessa bela aventura que se chama vida!

Muitos caminhos, muitos desafios fizeram de nós essa Rocha nua e crua que resiste sempre às ressacas, aos vendavais, para no final restar altaneira ao brilho do sol, aos encantos de uma noite de lua cheia, em que o amor pede passagem em devaneios de companheirismo e respeito.

Obrigada, Alfredo, por ser meu parceiro nesta estrada!

Ainda há margens floridas que nos arrancam gargalhadas! Há crias que nos fazem reviver muitos momentos, muita ascensão estampados em netos que nos dão razões de vida.

Isso é amor!

É a forma mais linda que Deus encontrou para que o homem fosse criatura e criador: propagasse a espécie!

sábado, 21 de maio de 2016

APENAS UMA FLOR


APENAS UMA FLOR
(Genaura Tormin)

Sou uma flor
Diferente:
Sem adubo
Nem canteiro.

Mas
Chamaram-me de flor!
E eu quero ser flor,
Embora haja tristeza,
Desenganos...
Uma flor de paz,
Sempre de amor, 
Vermelha.

Flor,
Unicamente flor.
Sem primavera
Nem inverno.

Flor no desalento,
Flor nas madrugadas,
No frio,
No tempo,
Nas lágrimas
E nas tormentas.

Flor-rosa,
De espinhos agudos.
Flor-mulher,
Esperança cansada,
Direito negado,
Liberdade tomada.

Mas
Amavelmente
Ou gentilmente,
Chamaram-me de flor.

E eu sou uma flor!
Nada mais.

Fico feliz,
Por ser ainda,
Apenas uma flor.

sábado, 7 de maio de 2016

MINHA QUERIDA MÃE


MINHA QUERIDA MÃE 
(Genaura Tormin)

A cada conta que rapasso
Do meu rosário de saudades,
De prece, de solidão, de queixas,
Tu não estás aqui!
E eu choro!
Como sinto o teu cheiro!
A falta do teu carinho dengoso,
Do teu coração desnudo em versos,
Poemas e canções. 
Os sábios conselhos, ainda ouço.
Era o alento de segurança 
À criança que ainda sou.

Como te preciso, Minha mãe!
Não sei andar sozinha.
Ainda tenho medo de escuro.
Posso cair e não sei me levantar.
São tantos os fantasmas
Que me assustam!

Eu sou teu fruto, minha mãe!
Tua essência, teu amor!
Dizias que eu era o teu tesouro.
Mamãe, não consigo viver só.
Não houve volta 
Dessa tua viagem!
Vivo ainda a te esperar aqui.
Alegro-me com rostos parecidos,
Que me levam a ti.

Encontro-te nos meus sonhos,
Mas tudo se desfaz!
E outra vez me deixas.
Logo irei ao teu encontro,
Aconchegar-me em teus braços,
Acolher-me ao teu regaço,
Para nunca mais chorar.
_____________________

Em mais esse Dia das Mães, o meu preito de gratidão e saudade à minha mãe, 
que hoje habita no Cosmos, junto ao Criador de Vidas

quinta-feira, 28 de abril de 2016

SEJAM MUITO BEM VINDOS AO TRT-GO




SEJAM MUITO BEM VINDOS AO TRT-GO 
(Genaura Tormin)


É com prazer que recebemos os novos colegas! 
A Casa é nossa. 
Sintam-se à vontade!

Parabenizamo-lhes pelo sucesso na aprovação de tão acirrado concurso.
Realmente vocês foram os mais bem preparados e, com certeza, demonstrarão toda essa garra e competência no exercício dos afazeres judiciais.

O trabalho é o meio para nos realizarmos economicamente, socialmente e psicologicamente. Significa a dignidade da pessoa.
Por isso consta como um dos fundamentos da República Federativa do Brasil.

Agora, como serventuários desta Justiça, devemos emprestar-lhe, além do nosso trabalho, a cordialidade, a lhaneza de trato, a presteza, a determinação, inovando sempre, para que a prestação jurisdicional seja mais rápida e a sua seriedade continue pautando o convívio social, resguardando-lhe a liberdade, a igualdade e a harmonia na preservação e garantia de direitos.

Para bem desempenharmos essas atividades, precisamos ter a consciência do nosso papel, das responsabilidades e gostarmos do que estivermos a fazer, lembrando-nos sempre de que outras pessoas esperam pela nossa interação de trabalho no final de um processo. Por isso, amem de todo o coração a causa que escolheram e persigam fazer sempre o melhor!

Trabalho é a palavra-chave e o tempo bendirá o fruto desse esforço.
Realmente, fomos criados para escrever a história, marcar o tempo e melhorar o porvir.
O nosso Tribunal é como se fosse uma grande máquina em que até as minúsculas peças são únicas e imprescindíveis para o bom desempenho de todo o aparato legal.

Essa é a tutela jurisdicional que o Estado tem o dever de prestar ao seu povo.
E como servidores desta Corte, temos a obrigação e a satisfação de impulsioná-la para frente e para o alto. Muitos de vocês serão lotados na Varas do Trabalho, razão desta justiça e verdadeira escola para a ascensão a superiores cargos.

Antes de trabalhadores, somos seres humanos com emoções, sensibilidades e fraquezas.
E aqui, procura-se lembrar disso.

A valorização do servidor, como pessoa, ganha destaque.
O coleguismo e o respeito pautam o nosso convívio, aumentando-nos a autoestima e a qualidade do servir.

A preocupação com a saúde física e psicológica dos servidores, por meio de um corpo especializado, composto pelos Setores de Assistência Médica, Odontológica e Psicológica, ajuda a fazer do TRT-GO uma grande família, agora aumentada e qualificada com novos e competentes membros.

Sejam muito bem-vindos!


Este é um momento de festa para vocês que chegam e também é um momento de despedida para mim, que  estou me aposentando. 

Procurarei não ser prolixa para que os sentimentos não abram as comportas dos meus olhos, tão bem tarameladas para aqui estar.

Cheguei! 

Avalio o caminho, revejo os pés e no calendário do tempo, confiro os 70 anos de vida feliz e bem vivida, dos quais 51 anos ininterruptos de vida pública de trabalho.

O espelho ainda me fala de sorriso, otimismo, alegria e alguma beleza. 

Isso, porque tudo que fiz foi sob o comando do amor, da qualificação, da satisfação do fazer e do respeito ético.

E eis que chego neste final de estrada, com o sentimento de missão cumprida!

Mochila às costas, diante de vocês, para um agradecimento, um até logo ou um até breve. Chegou a hora de ir. Não estranhem se acaso eu chorar.

Egressa de um concurso para Analista Judiciário do TJDFT, aqui estou no TRT-GO há 21 anos.

Foi um tempo de paz, de crescimento, de trabalho para que a prestação jurisdicional chegasse em tempo célere ao jurisdicionado. Tempo em que eu me senti feliz, contente, contribuindo com a Justiça do Trabalho do meu Estado.

Durante todos esses anos integrei-me bem aos grupos de trabalho, pois jamais me subjugo às subserviências em busca de protecionismo sob o álibi da cadeira de rodas que ocupo há 34 anos. 

Ela não me posterga, pelo contrário, enobrece-me! 

Convida-me ao desafio. 

E eu gosto disso. 

O nosso Tribunal potencializa os recursos e tecnologias assistivas visando à plena acessibilidade das pessoas com deficiência. 

Isso se chama respeito, inclusão.

Nunca me senti diferente, discriminada.

Acredito que não há discriminação que resista à competência. 

Não é necessário paternalismo nem diferenciação, apenas respeito às leis e à célebre frase de Rui Barbosa: “... tratar igualmente os iguais e desigualmente os desiguais na medida em que eles se desigualam”.

Mas agora chegou a hora de ir.

Muitas saudades levarei.

Essa linda estada de trabalho nesse Tribunal será um marco de saudade nas celas de minhas recordações, no acalanto dos dias.

E essa história ainda não acabou. Conotativamente fui formiga a vida inteira, agora vou ser cigarra: cantar a vida, bordar horizontes, irmarnar-me às asas dos pássaros e rever prados, campinas e montes, solfejando a lira dos poemas meus.

Nunca me esquecerei do tempo que aqui servi como formiga e fui tão, tão feliz. 

Esta Corte de Justiça continuará minha também. 

Os camaradas-formigas de minha equipe terão um lugarzinho cativo no meu coração. Nunca os esquecerei!

Mas, agora chegou a hora de ir! Chegou a hora de dizer adeus!!!

LEVE, LIVRE & SOLTA!


Sejam bem vindos!
Vocês alegram a minh'alma e meu coração.

Era uma luz no fim do túnel e eu não podia perder.
Era a oportunidade que me batia à porta.
Seria uma Delegada de Polícia, mesmo paraplégica!
Registrei a idéia e parti para o confronto.
Talvez o mais ousado de toda a minha vida.
Era tudo ou NADA!
(Genaura Tormin)


"Sou como a Rocha nua e crua, onde o navio bate e recua na amplidão do espaço a ermo.
Posso cair. Caio!
Mas caio de pé por cima dos meus escombros".
Embora não haja a força motora para manter-me fisicamente ereta, alicerço-me nas asas da CORAGEM, do OTIMISMO e da FÉ.

(Genaura Tormin)