PLANTIO

PLANTIO
PLANTIO
(Genaura Tormin)

Deus,
Senhor dos mares e montes,
Das flores e fontes.
Senhor da vida!
Senhor dos meus versos,
Do meu canto.

A Ti agradeço
A força para a jornada,
A emoção da semeadura,
A alegria da colheita.

Ao celeiro,
Recolho os frutos.
Renovo a fé no trabalho justo,
Na divisão do pão,
. E do amor fraterno.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

TOMA JÊITIO, SÔ!!



TOMA JÊITIO, SÔ!!
(Genaura Tormin)

Viche, Santantõi!!
A moça tá pelada na minha frente!!
Insqueceu da rôpa!
Inda pru cima tá cum fômi.
Qui buracu danadu é êssi aí nu buxu, hein?

Viche!
E os pêitu tudu di fora!!
A cara ocê inscondi, né?
Issu é severgoinhice, memo!
Será qui ocê qué vendê os corpo?
Isso num se vendi não, sô!!
É só pur amô!

Premêro,
Ocê tá pricisanu duma caridadi.
Arguém qui dê um adjutoro
Pramodi cumprá uns panu
Procê cubri as coisa.
Adespois tá pricisanu memo é duma tunda,
Prumodi criá brio, trabaiá...

Num podi ficá ansim não, fia!
Dá pneumunia, calafrio, espinhela caída...
E ocê tá duenti,
Cas carça avermeiada.
É essas coisa de mué, né?
Tem qui usá panim!
Toma jêitio!
Tá mostranu as coisa tudu, pur sôto!
Adespois, casamento qui é bão,
Necas, viu!!!
Nenhum môçu bão vai querê ocê!

Um comentário:

  1. Linda!!! Maravilhosa Gê!!!
    Tô rindo aqui... Achu qui ela tá
    mermu pricisada dum adjutoro, viu!!!
    Saudades, minha Amiga... Muitas!!!

    Beijo no teu doce coração, Amada!!!
    Iza

    ResponderExcluir

O seu comentário significa carinho e aprovação. Fico cativada e agradeço. Volte sempre! Genaura Tormin

LEVE, LIVRE & SOLTA!


Sejam bem vindos!
Vocês alegram a minh'alma e meu coração.

Era uma luz no fim do túnel e eu não podia perder.
Era a oportunidade que me batia à porta.
Seria uma Delegada de Polícia, mesmo paraplégica!
Registrei a idéia e parti para o confronto.
Talvez o mais ousado de toda a minha vida.
Era tudo ou NADA!
(Genaura Tormin)


"Sou como a Rocha nua e crua, onde o navio bate e recua na amplidão do espaço a ermo.
Posso cair. Caio!
Mas caio de pé por cima dos meus escombros".
Embora não haja a força motora para manter-me fisicamente ereta, alicerço-me nas asas da CORAGEM, do OTIMISMO e da FÉ.

(Genaura Tormin)