PLANTIO

PLANTIO
PLANTIO
(Genaura Tormin)

Deus,
Senhor dos mares e montes,
Das flores e fontes.
Senhor da vida!
Senhor dos meus versos,
Do meu canto.

A Ti agradeço
A força para a jornada,
A emoção da semeadura,
A alegria da colheita.

Ao celeiro,
Recolho os frutos.
Renovo a fé no trabalho justo,
Na divisão do pão,
. E do amor fraterno.

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

VIDA, VIDA MINHA!



VIDA! VIDA MINHA!
(Genaura Tormin)

A vida vai continuar! 
Serei uma caçadora, uma ave a voejar caminhos, procurar galho para fazer outro ninho! 
Meus poemas ficarão para a posteridade! 
Minha vida, decantada em prosa e verso alentará pessoas, restando assim, ainda um pouco de mim.
E quando eu me for, nas asas do vento, nos refegos da ramagem de uma tarde linda, com mistérios e cores, O Pássaro Sem Asas planará faceiro, contando um pouco desse meu jeito guerreiro, valente, de enfrentar desafios, cantar a vida e ser contente.

Despedida


Quando eu partir
Deixarei saudades...
Presença silenciosa.
Frases inaudíveis 
Ecoarão no ar.
Só, seguirei a minha estrada...
Nada levarei. 
Não é necessário.


Para trás,
Um lar vazio,
Uma lembrança gasta,
Uma janela aberta...
Mas se um dia,
Sentirem a minha falta,
Juro, não é covardia,
Deixem rolar o pranto,
Espantem essa agonia.


Em nome dessa partilha,
E da felicidade 
Que nos uniram um dia,
Relembrem os bons momentos.
E se eu puder,
Virei enxugar-lhes o pranto,
Num raio de sol, 
Num sopro do vento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O seu comentário significa carinho e aprovação. Fico cativada e agradeço. Volte sempre! Genaura Tormin

LEVE, LIVRE & SOLTA!


Sejam bem vindos!
Vocês alegram a minh'alma e meu coração.

Era uma luz no fim do túnel e eu não podia perder.
Era a oportunidade que me batia à porta.
Seria uma Delegada de Polícia, mesmo paraplégica!
Registrei a idéia e parti para o confronto.
Talvez o mais ousado de toda a minha vida.
Era tudo ou NADA!
(Genaura Tormin)


"Sou como a Rocha nua e crua, onde o navio bate e recua na amplidão do espaço a ermo.
Posso cair. Caio!
Mas caio de pé por cima dos meus escombros".
Embora não haja a força motora para manter-me fisicamente ereta, alicerço-me nas asas da CORAGEM, do OTIMISMO e da FÉ.

(Genaura Tormin)