PLANTIO

PLANTIO
PLANTIO
(Genaura Tormin)

Deus,
Senhor dos mares e montes,
Das flores e fontes.
Senhor da vida!
Senhor dos meus versos,
Do meu canto.

A Ti agradeço
A força para a jornada,
A emoção da semeadura,
A alegria da colheita.

Ao celeiro,
Recolho os frutos.
Renovo a fé no trabalho justo,
Na divisão do pão,
. E do amor fraterno.

sábado, 10 de maio de 2014

MINHA MÃE - MEU TESOURO





MINHA MÃE - MEU TESOURO
(Genaura Tormin) 


Mãe,
Como me faz falta o seu colo,
O seu amor cuidador,
O seu afeto gostoso,
A sua presença nesta solidão
Que se transmuta em dor.

Você se foi e eu fiquei a esperar.
A passagem está comprada
E eu pronta para seguir ao seu encontro.
Sou sua filha, seu sangue, sua essência.
Você me fez sensível, chorona…
Uma poeta nesta existência.

Preciso de você, minha mãe,
Para secar-me o pranto,
Curar-me as feridas,
Emprestar-me o ombro.
Preciso mergulhar no oceano
Desses olhos azuis
Que compartilham tanto amor, tanto encanto!

Eis-me da espera tão cansada!
Quantos anos repasso
No rosário de minhas saudades.
Ainda sou uma criança
A procura dos seus braços.

Essa falta grita, lateja, queima...
Recolho-me e penso.
No descompasso do meu coração saudoso,
Na contrição do cérebro atento,
Por um instante, sinto-a por perto 
A afagar-me os cabelos,
A falar-me de afeto.

Minha mãe!
Maior Tesouro que pude ter nesta vida!
Ainda órfã,
Em mais este DIA DAS MÃES, 
Envio-lhe o meu coração,
Minha gratidão, minha saudade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O seu comentário significa carinho e aprovação. Fico cativada e agradeço. Volte sempre! Genaura Tormin

LEVE, LIVRE & SOLTA!


Sejam bem vindos!
Vocês alegram a minh'alma e meu coração.

Era uma luz no fim do túnel e eu não podia perder.
Era a oportunidade que me batia à porta.
Seria uma Delegada de Polícia, mesmo paraplégica!
Registrei a idéia e parti para o confronto.
Talvez o mais ousado de toda a minha vida.
Era tudo ou NADA!
(Genaura Tormin)


"Sou como a Rocha nua e crua, onde o navio bate e recua na amplidão do espaço a ermo.
Posso cair. Caio!
Mas caio de pé por cima dos meus escombros".
Embora não haja a força motora para manter-me fisicamente ereta, alicerço-me nas asas da CORAGEM, do OTIMISMO e da FÉ.

(Genaura Tormin)