PLANTIO

PLANTIO
PLANTIO
(Genaura Tormin)

Deus,
Senhor dos mares e montes,
Das flores e fontes.
Senhor da vida!
Senhor dos meus versos,
Do meu canto.

A Ti agradeço
A força para a jornada,
A emoção da semeadura,
A alegria da colheita.

Ao celeiro,
Recolho os frutos.
Renovo a fé no trabalho justo,
Na divisão do pão,
. E do amor fraterno.

sábado, 17 de março de 2012

POR QUE FAÇO POEMA?


(Vem aí mais uma casinha dos poemas meus! É bom guardá-los com carinho, acomodá-los num cantinho! O título? Achei-o lindo: MARAROLA, VELEIRO E VENTO. Espero que vc goste também. Afinal, é vc o porquê e a razão desse meu versejar.)


POR QUE FAÇO POEMA?
(Genaura Tormin)


Porque o poema é prece!  Consola e encanta.

Pede passagem ao cair da tarde, no vagar do tempo, nas horas caladas, no frio das madrugadas...
 Em dolorido grito, no colo da dor, do abandono, pede alforria para curar feridas!

Nos braços da poesia, viro poeta: engendro versos, bordo minha fantasia e deixo jorrar pelos caminhos os restos de verdades, retalhos de alegrias, gritos inaudíveis que os versejo agora na lousa do tempo.

São transparências do que sou, em lampejos de ternura, de sensibilidade, que formam minha bagagem.
São legados de um caminho trilhado, cujas cicatrizes ainda arquejam exangues.

A natureza se faz parceira e o vento, com seus muitos trinados, ainda canta para mim. Parece que ouço o rumorejo desse vento gostoso que me cobre de beijos.

Assim é MAROLA, VELEIRO E VENTO, em que o meu versejar ganha forma, essência e cor, exibindo-se  ao  leitor que, com certeza, saberá enroscar-se em seus veios, para comigo espreitar luares, cantar amores e degustar saudades.

Um comentário:

  1. Amada Genaura,
    "Por que faço poema" ... Porque o poema é prece, consola e encanta."
    Fecho os olhos por um momento e imagino você fazendo um poema. Erguendo os olhos para o alto e mentalizando Deus, nosso Pai de Amor, Infinito e Doce. É Ele que nos consola e nos encanta, com sua imensa misericórdia e intenso amor por nós, obras de Sua Divina Criação.
    E este quadro que se forma em minha imaginação, é a perfeita sintonia e sinfonia Dele conosco.
    Seu poema está pronto! Por mais que você escreva (e você escreve muitíssimo bem), haverá apenas belíssimas palavras em complemento à sua ideia inicial do poema. Ele (o poema) já inseriu-se no mundo das palavras e você, minha querida, deu-lhe vida, como faz com todas as suas criações.
    Bendita seja você, que pincela com a luz e o colorido de sua alma, nossa tela mental, com seus versos tão lindos.
    Hoje, Dia Mundial da Poesia, abraço-a com todo o carinho que consigo colocar neste afeto que sinto e parabenizo-a por seres a pessoa que és, além de minha poeta preferida.
    Um grande e imenso beijo neste doce coração.
    Maria Paraguassu.

    ResponderExcluir

O seu comentário significa carinho e aprovação. Fico cativada e agradeço. Volte sempre! Genaura Tormin

LEVE, LIVRE & SOLTA!


Sejam bem vindos!
Vocês alegram a minh'alma e meu coração.

Era uma luz no fim do túnel e eu não podia perder.
Era a oportunidade que me batia à porta.
Seria uma Delegada de Polícia, mesmo paraplégica!
Registrei a idéia e parti para o confronto.
Talvez o mais ousado de toda a minha vida.
Era tudo ou NADA!
(Genaura Tormin)


"Sou como a Rocha nua e crua, onde o navio bate e recua na amplidão do espaço a ermo.
Posso cair. Caio!
Mas caio de pé por cima dos meus escombros".
Embora não haja a força motora para manter-me fisicamente ereta, alicerço-me nas asas da CORAGEM, do OTIMISMO e da FÉ.

(Genaura Tormin)