PLANTIO

PLANTIO
PLANTIO
(Genaura Tormin)

Deus,
Senhor dos mares e montes,
Das flores e fontes.
Senhor da vida!
Senhor dos meus versos,
Do meu canto.

A Ti agradeço
A força para a jornada,
A emoção da semeadura,
A alegria da colheita.

Ao celeiro,
Recolho os frutos.
Renovo a fé no trabalho justo,
Na divisão do pão,
. E do amor fraterno.

sexta-feira, 27 de junho de 2014

NUM INSQUEÇA DESSA PROSA






NUM INSQUEÇA DESSA PROSA
Genaura Tormin

Vancê tem que assustentá
Aquilo que me dixe,
Mermo aí na Capitá.
Pegano na minha mão
Vancê prometeu me amá.
Dixe tanta coisa linda
Pramodi me enganá.

Adespois,
Pega e vai simbora,
Fica de longe e me óia
Sem nada pra prusiá,
Nem mermo escrivinhá,
Isquecendo as coisa boa
Que fizemo do lado de cá.

Já num tenho aligria.
Tô  chorano todo dia
E de noite fico a pensá
Nocê e nesse  amô
Que num pudia acabá

E eu sei que uma gaiata,
Aquela do celulá,
Tá tentano te prendê
Fazendo inté coisa ruim
No zoínho de vancê.

É bão pensá,
Pruquê vancê pode perdê
E vortá arrependido
Pedino  preu te querê.

A ingratidão mata afeição,
E às vêis um moço bão
Vai de mim se ingraçá,
E inté pedi pra cumigo  se casá.

Aí, perde eu, perde vancê,
Pois amô qui nem o de nóis
É difici de encontrá.                                                         


Um comentário:

O seu comentário significa carinho e aprovação. Fico cativada e agradeço. Volte sempre! Genaura Tormin

LEVE, LIVRE & SOLTA!


Sejam bem vindos!
Vocês alegram a minh'alma e meu coração.

Era uma luz no fim do túnel e eu não podia perder.
Era a oportunidade que me batia à porta.
Seria uma Delegada de Polícia, mesmo paraplégica!
Registrei a idéia e parti para o confronto.
Talvez o mais ousado de toda a minha vida.
Era tudo ou NADA!
(Genaura Tormin)


"Sou como a Rocha nua e crua, onde o navio bate e recua na amplidão do espaço a ermo.
Posso cair. Caio!
Mas caio de pé por cima dos meus escombros".
Embora não haja a força motora para manter-me fisicamente ereta, alicerço-me nas asas da CORAGEM, do OTIMISMO e da FÉ.

(Genaura Tormin)