PLANTIO

PLANTIO
PLANTIO
(Genaura Tormin)

Deus,
Senhor dos mares e montes,
Das flores e fontes.
Senhor da vida!
Senhor dos meus versos,
Do meu canto.

A Ti agradeço
A força para a jornada,
A emoção da semeadura,
A alegria da colheita.

Ao celeiro,
Recolho os frutos.
Renovo a fé no trabalho justo,
Na divisão do pão,
. E do amor fraterno.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

OSTENTO O AMOR



OSTENTO O AMOR
(Genaura Tormin)

Viver?
Penso que aprendi agora,
Depois de tantos passos inúteis,
Falsos, conturbados...
Tantas quedas, tantos percalços.
Conheci-me depois dos tombos,
Diante das feridas ainda exangues.
Gosto-me assim!

A existência é um palco
E eu sou sua personagem
Nua, consciente,
Agora contente e sem adereços.
Sou, como sou!
Ostento a alegria,
A poesia e o amor!

Gyn, 22.11.2011 10h

4 comentários:

  1. Querida amiga Genaura,
    A vida, essa poderosa companheira de todos os dias nos ensina a conhecer-nos. E é diante de tantas quedas e sofrimentos, que aprendemos o
    mais importante: acima de qualquer coisa, estamos vivos e temos, depois de tudo, a coragem e a fé para respaldar-nos diante do que ainda estará por vir, posto que não nos é dado conhecer o futuro.
    Porém, estando com Deus em nosso pensamento, creio que tudo o que ainda vier, estaremos aptos
    a enfrentar e vencer.
    Com um imenso beijo em teu coração e um forte abraço,
    Maria Paraguassu.

    ResponderExcluir
  2. Genaura,

    Que lindo lugar. Textos , poesias, imagens.
    Ostentar o amor , a alegria e poesia é ter ser sempre em harmonia.

    ResponderExcluir
  3. Despedindo-me,
    Voltarei sempre em visitas neste lugar de palavras
    Parabéns, pelo blog.

    Cordialmente,

    Aureliano

    ResponderExcluir
  4. GENAURA
    conhecer-te foi uma incrível oportunidade de aprender e viver melhor. Vê-la ostentando o amor, a alegria, a gana pelo trabalho e a disposição de se posicionar como mulher completa, mesmo que os seus pés não marquem o chão, faz-me amá-la como és, sem adereço. Na sutileza das palavras da poeta que contradiz a grande força de não pedir licença para viver o direito dado por Deus de ser PLENA.

    ResponderExcluir

O seu comentário significa carinho e aprovação. Fico cativada e agradeço. Volte sempre! Genaura Tormin

LEVE, LIVRE & SOLTA!


Sejam bem vindos!
Vocês alegram a minh'alma e meu coração.

Era uma luz no fim do túnel e eu não podia perder.
Era a oportunidade que me batia à porta.
Seria uma Delegada de Polícia, mesmo paraplégica!
Registrei a idéia e parti para o confronto.
Talvez o mais ousado de toda a minha vida.
Era tudo ou NADA!
(Genaura Tormin)


"Sou como a Rocha nua e crua, onde o navio bate e recua na amplidão do espaço a ermo.
Posso cair. Caio!
Mas caio de pé por cima dos meus escombros".
Embora não haja a força motora para manter-me fisicamente ereta, alicerço-me nas asas da CORAGEM, do OTIMISMO e da FÉ.

(Genaura Tormin)