PLANTIO

PLANTIO
PLANTIO
(Genaura Tormin)

Deus,
Senhor dos mares e montes,
Das flores e fontes.
Senhor da vida!
Senhor dos meus versos,
Do meu canto.

A Ti agradeço
A força para a jornada,
A emoção da semeadura,
A alegria da colheita.

Ao celeiro,
Recolho os frutos.
Renovo a fé no trabalho justo,
Na divisão do pão,
. E do amor fraterno.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

REENCARNAÇÃO



REENCARNAÇÃO
(Genaura Tormin)

Nascer, morrer, renascer ainda e progredir sempre, esta é a Lei. Esta
inscrição encontra-se no túmulo do codificador da Doutrina Espírita, Allan Kardec, no cemitério do "Pere-Lachaise", em Paris.

A reencarnação é a volta da alma à vida corpórea, em outro corpo
especialmente formado para ela, com o objetivo de expiação, melhorando o progresso da humanidade.

A crença na reencarnação é muito antiga. “Os hinos dos Vedas, escritos há 60.000 anos, falam na lei da reencarnação e afirmam que é preciso reencarnar e fazer o bem para “novos laços com outros corpos em outros mundos”.

Nas tradições egípcias datadas de 3.000 anos AC dizia-se "que antes de nascer a criança já tinha vivido e que a morte não era o fim." Muitos filósofos antigos, como Sócrates e Platão, acreditavam nas vidas sucessivas.

Padres da Igreja Católica, como Orígenes e São Clemente de Alexandria, acreditavam e eram a favor de vidas sucessivas, para que o homem pudesse ter compreensão da Justiça de Deus, embora muitos enganos tenham sido cometidos.

Muitas mortes aconteceram e eu enfatizo a de Sócrates, que foi ridicularizado e levado a tomar um veneno chamado cicuta.

A pluralidade das existências no corpo físico não se constitui apenas numa afirmação evangélica, mas uma verdade científica e filosófica, explicada pela Lei do Progresso, claramente estampada nas diferenças sociais, nas doenças congênitas, além de muitos acontecimentos atribuídos a fatalidades.

A reencarnação é necessária para que o espírito evolua, tendo por mestres a dor e as múltiplas experiências que, com certeza, o qualificará para o exercício do amor ao seu próximo. Por isso, este é um mundo de provações, próprio para o resgate de erros do passado.

Além da universalidade de espíritos que se comunicam por toda a terra por ordem de Deus, o homem, à procura de solução para seus males, aprendeu que pela hipnose pode regredir a vidas passadas. Por meio dessas terapias solucionam perturbações oriundas de acontecimentos traumáticos de reencarnações anteriores, passando a lidar melhor com esses fatos.

Por que crianças (que segundo algumas Doutrinas, não possuem pecados) nascem aleijadas, cegas, surdas, mudas, com câncer...? Propósito de Deus? Deus possui propósitos bons para alguns, e ruins para outros? Na verdade, nada nos vem que não tenhamos merecido agora ou logrado com anterioridade, como disse Paramahansa
Yogananda.

A semeadura é livre mas a colheita é obrigatória! Só colhemos o que
plantamos. É a justeza de Deus. Pensar diferente é desprezar a Justiça Divina, na sua função de dar a cada um segundo as suas obras, como ensinou o Cristo. Se Jesus pode simplesmente apagar todos os nossos erros passados, qual seria então o sentido das nossas ações na Terra?

O Mestre sempre dizia: os que têm olhos para ver, vejam; os que têm
ouvidos para ouvir, ouçam. Não falou claramente da reencarnação nem da vida após a morte, mas o fez nas entrelinhas.

Os judeus acreditavam na reencarnação. Muitas vezes perguntavam ao
Mestre se Ele era um dos antigos profetas que havia voltado. O próprio Jesus perguntou a seus apóstolos o que as pessoas falavam sobre Ele. Quem achavam que era Ele. “Umas dizem que é o Senhor é Elias; outras que é Jeremias ou alguns dos profetas”. Ora, Elias e Jeremias vieram muitos anos antes de Cristo. Mais uma vez Jesus não chamou a atenção dos apóstolos pela resposta. Por quê?

Em Mateus, 11.4, Jesus afirma que “João é o Elias que estava por vir”.
Naquele tempo havia uma profecia de que Elias voltaria ao mundo. Jesus jamais afirmaria isso se não tivesse amplo conhecimento. Há, ainda, muitas outras passagens ocultas na Bíblia que confirmam a existência da reencarnação.

Temos certeza da misericórdia de Deus. Por que então Ele iria permitir que que criaturas más gozassem de grande prosperidade enquanto que outras, honestas e bondosas, vivessem com muitas dificuldades? Deus sendo justo, por que deixaria que milhares de seus filhos padecessem frio, fome, humilhações? Por que uns nascem inteligentes demais e outros com o mínimo de compreensão? Deus não castiga ninguém.

Somos responsáveis por tudo que nos acontece na vida. Nossas atitudes criam ou criaram o nosso destino. Não existe injustiça. Se fomos atingidos por essa ou aquela tragédia, foi porque precisávamos aprender alguma lição. Se sofremos a culpa é toda nossa. É a lei do retorno.

O Espiritismo é uma lei universal e sem ela a existência terrena aos nossos olhos representaria desordem e injustiça. Dela promana a explicação de todas as aparentes anomalias da vida humana, de todas as desigualdades intelectuais, morais e sociais, facultando ao homem saber donde vem, para onde vai, para que fim se acha na Terra e por que aqui sofre, pois a fé cega nos anula o raciocínio.

A maior contestação apresentada quanto à reencarnação é o fato de não nos lembrarmos de quem fomos em vidas anteriores, o que significa que estaríamos sendo punidos, sem que nos dessem a conhecer as razões do procedimento de Deus.

A lembrança de vidas passadas traria gravíssimos inconvenientes. Poderia, em certos casos, humilhar-nos, ou exaltar-nos o orgulho e, assim, entravar o nosso livre-arbítrio, acarretando perturbações nas relações com os nossos semelhantes. O Planeta é ainda de provas e expiações. Aqui estamos como se fôssemos portas na esperança da reconciliação. "Nos filhos que hoje acalentamos no colo, comovidos pela ternura de sua vestimenta infantil, podem estar espíritos de difícil convivência em encarnações anteriores".  E aí está o mérito do reencontro e do perdão.

Deus nos deu, para nosso adiantamento aqui, justamente o que nos é
necessário: a voz da consciência e as nossas tendências instintivas, e nos tirou o que poderia nos prejudicar, lançando um véu de esquecimento sobre as nossas existências passadas, embora, ao nascer, o homem traga o que nelas acumulou.

A evolução do espírito está no constante desabrochar de faculdades novas, erros, correções, reciclagens e aprimoramento.
Ninguém poderá ver o reino de Deus se não nascer de novo. O que significa nascer em espírito, que se aperfeiçoa a cada reencarnação, com mais ou menos vagar, de acordo com o seu livre arbítrio, pois seria impossível o homem tornar-se perfeito apenas com uma estada na Terra de 80 anos, média de vida no Planeta.

Por isso Deus lhe concede realizar, em novas existências, o que não pode fazer ou concluir na existência anterior. Na verdade, SERVIR é a palavra de comando da Doutrina, pois oração sem ação tem pouca eficácia. Fora da Caridade não há salvação. Não só a caridade material, mas a tolerância, a benevolência mútua, a aceitação...

A existência humana é uma chance para evoluirmos por meio de nossas
experiências na Terra, diante das situações da vida em que fomos reencarnados.

Muitos espíritos evoluídos, com experiências acumuladas de reencarnações anteriores, vivem novamente no nosso tempo, ajudando na marcha do progresso. Isso se justifica pelas nobres idéias natas que trazem.

As simpatias ou antipatias estampadas aleatoriamente, significam a
qualidade das relações anteriores que se religam agora, unindo a grande família de todos os tempos, semeando a fraternidade universal, uma vez que a caridade é o estandarte maior dessa Doutrina consoladora.

Se o homem aceitasse e compreendesse melhor a lei da reencarnação, não teríamos hoje tanta violência, tanta corrupção, tanta avareza: ricos enganando pobres, líderes religiosos enganando os mais humildes com promessas impossíveis, a troco de dinheiro, como se houvesse transporte de malotes de grana na rota Terra/Céu.
Genaura Tormin
Publicado no Recanto das Letras em 05/05/2008
Código do texto: T976085

terça-feira, 25 de agosto de 2009

FLOR DO CERRADO


FLOR DO CERRADO

Eis um e-mail que recebi de um amigo!
Achei-o tão lindo, tão edificante, que o transcrevo aqui.
Acresci-me depois de sua leitura.
Acredito que é assim que somos construídos, lapidados...
Ao Wiliam, a minha gratidão, o meu carinho e o pacto de uma amizade eterna.
Obrigada muito pela paz que me passa e pela ternura que irradia. Sei que não mereço tanto, mas fico agradecida e feliz.
Beijos da Genaura Tormin

Eis o texto do Wiliam Machado:

GENAURA, FLOR DO CERRADO!

Minha querida amiga, confesso que tentei fazer uma poesia para expressar o quanto lhe quero bem, mas lamento reconhecer que não domino a arte de articular as palavras com conotação poética. Prefiro a escrita erudita, a que segue sequência pragmática e atribui sentido filosófico a hermenêutica clássica.

No fundo interpretativa como a poesia, porém, sem o atributo da rima. Ao meu jeito de escrever reitero minha gratidão por haver encontrado você nesse caminhar terreno.

Aparentando força do acaso, mas com fortes traços e/ou evidências subjetivas de reencontro de almas da mesma linhagem, nos deparamos numa das milhares de bilhões de trilhas da existência humana planetária.

Está escrito nos arquivos da Sabedoria Universal que teríamos esse novo encontro e dele devemos tirar melhor proveito possível, em condições especiais de roupagem externa e munidos de influência para importantes mudanças paradigmáticas.

Esteja certa que muitos ensinamentos seus foram e são de grande valia para um batalhão de alunos e ex-alunos de graduação e pós da área de saúde, inclusive, promovendo substantivas contribuições para o cuidado humano de muitas pessoas com deficiência, mundo afora.

Da mesma forma, tenho certeza que a recíproca foi verdadeira, quando aplicada aos inúmeros escritos seus e dirigidos aos mais diversos grupos sociais que precisavam despertar para questões afetas ao segmento de pessoas com deficiência.

Viu como tem sido benéfica nossa parceria? Entendo-a também como uma forma de resgate do não feito em vidas passadas, embora tivéssemos condições de fazê-lo noutras oportunidades. Nesse sentido, apoio-me em algumas correntes científico-filosóficas, entre as quais a teoria das cordas da física moderna para explicar o "aparente" acaso típico desses reencontros. Olha eu entrando na seara científica! Um hábito de pensar esquemas teóricos com coisas vivenciadas. Fazer o quê, é minha praia!!!

As mensagens de Natal fazem parte da melhor sintonia humana do Planeta. Nesse vórtice energético, melhor compartilhar da linguagem e atmosfera de AMOR disponível.
Assim, seleciono o melhor e compartilho com pares da atual passagem no mundo das formas. Uma forma de estar no mundo e dele tirar melhor proveito. Parto do princípio que o AMOR é a única coisa que se multiplica na proporção direta como se é compartilhado.

Quanto aos problemas com a LER, concordo que devas se poupar ao máximo. De natureza degenerativa ela precisa ser contida em sua evolução, e o melhor mesmo é respeitar seu processo. Apenas recomendo que não deixe de fazer a auto-hemoterapia.

Pode não representar mudanças objetivas do ponto de vista externo das funções corporais, mas é diferencial positivo para o que os olhos não percebem.

Olha, aprendi com meu Ser Interno que toda manifestação corporal na forma de doenças e/ou limitações funcionais, precisam ser compreendidas como processos de purificação benfazejos ao espírito.

Temos a eternidade para alcançar sabe-se lá o que em termos de evolução. Entreguemo-nos a LUZ! Afinal, o que se passa na matéria é muito efêmero para grandes preocupações.

Beijo fraterno.
Com carinho.

Wiliam

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

SEGMENTO EMERGENTE GANHA LONGEVIDADE



SEGMENTO EMERGENTE GANHA LONGEVIDADE
(Genaura Tormin)

Muito progresso! Muitas mudanças...
Um novo milênio que enfoca avanços na saúde, nos mistérios da alma e do corpo.

Muitas descobertas...

A longevidade é um dos marcos deste tempo. Os parâmetros se alargaram. A idade subiu a patamares de rejuvenescimento e o sorriso estampou-se garboso numa determinação incontida.

Tudo conspira para melhores dias.

O avanço cibernético, a informática, a globalização são os responsáveis por tanta celeridade de progresso.
Não resta dúvida de que existirão os efeitos colaterais.
Tudo tem um preço.

Alargam-se as distâncias e distanciam-se as proximidades.

Nesse "trem-bala" temos que nos acomodar às paisagens de sua velocidade, exaurindo o melhor, ajustando-o à felicidade.
Com tudo isso, surge um novo modelo de vida, principalmente para os sexagenários que, agora, mantêm-se ativos, produtivos, contentes e encantados com o exercício de viver.

Foi-se aquele estereótipo de ostracismo, inadimplência, relegado ao viajante de malas prontas para o embarque.

Nova mentalidade grassa esse segmento social que emerge com o propósito de fazer a diferença, crescer e aparecer com galhardia.

As receitas estão aí, basta querer!

A medicina avança a cada dia. As academias, os SPAs, as clínicas, as caminhadas, pelas estradas floridas da natureza, significam rejuvenescimento para o corpo, festa para o coração e evolução para o espírito, fazendo da vida uma ciranda de alegria.
A alimentação é fator importante para a manutenção da saúde. Há quem diga que somos o que comemos.

Acredito que o segredo está na disposição mental que nos comanda, direcionando para o melhor ou para o pior.
Seremos jovens enquanto jovens forem os nossos pensamentos, os nossos comandos. Somos energia!

Nesse tema, o mundo está se ajustando, preparando-se para receber esses jovens maduros, entusiasmados, com missão cumprida na criação da família, tempo disponível para viver que, entretanto, não podem prescindir de alguns cuidados nessa faixa etária.

Esses campeões do existir, que legaram à vida outras vidas, além de trabalho árduo, amor e sabedoria, agora estão desobrigados, aposentados.
A prole segue o caminho, equilibrando as próprias asas no planar da vida.

Seria de grande valia a existência de empreendimentos direcionados, como hotéis (resorts), com retaguarda especializada para esse segmento que desponta no mercado, onde a acomodação e o convívio aconchegantes, com autonomia e respeito, aumentassem a autoestima e o desejo de viver bem e produtivamente contente. Seria um tributo merecido e, ainda, muito rentável do ponto de vista financeiro.

Eu chamaria a isso de PARAÍSO.

Fecho os olhos e meu coração passeia por alamedas floridas, contos de fadas, fontes, céu estrelado, marulhar de riachos, melodias de flautas e violinos, canto de pássaros, abraços, beijos e cuidados diversificados e especializados.

domingo, 23 de agosto de 2009

QUE PENA


QUE PENA
(Genaura Tormin)

Lua matreira,
Namoradeira,
Lançando sombras,
Rendilhando o chão.
Por companhia,
Pássaros cantores,
Notívagos companheiros,
Na calada fria.

Vestido de solidão,
Bem longe da fantasia,
Está o coração,
Que palpita em agonia.
Que pena!
Foi-se a alegria.
A noite está fria!
A vida vazia!

sábado, 22 de agosto de 2009

SOU CRIANÇA


SOU CRIANÇA
(Genaura Tormin)

Ainda não sei
Quem realmente sou.
Nasci menina traquina,
Em meio à ventania
Numa manhã de julho.
O vento
Lambia a poeira dos caminhos,
Subia às colinas
E ouriçava a copa do arvoredo.

Por isso nasci sem medo!
Gosto-me assim!
As estradas foram-se esgueirando
À minha frente.
E eu as segui resoluta,
Firme, contente.
Hoje sou coragem!
Sozinha carrego a bagagem.

Sei também ser ousada,
Atrevida, valente!
Ostento a rebeldia,
Mas faço poema
Nos veios da poesia.

Muitas vezes sou lágrimas
Nos braços do amor.
Sou ternura, esperança...
Por vezes, sou criança!
Acabo de descobrir
Quem eu sou!
UMA CRIANÇA!

terça-feira, 18 de agosto de 2009

NUA E CRUA


NUA E CRUA
(Genaura Tormin)

Em suspiros arquejas,
Ó alma minha!
A emoção pranteia-me as faces,
No desalento do nada.
Foi-se o sorriso frouxo,
Bordado do meu rosto.

Reclusa, arredia,
Também se foi a poesia.
Nada sobra,
Nada resta.
Apenas uma saudade gasta,
Num final de festa.

Medroso se escondeu o sol.
Na noite,
Algumas estrelas fugidias,
Sem magia, sem lua,
Sem guarida, sem fantasia.
Tudo é solidão!
A realidade nua e crua
Enfrenta-me sem compaixão.

domingo, 9 de agosto de 2009

MEU PAI


MEU PAI
(Genaura Tormin)

Gênese do meu ser.
Mestre incansável
Que me ensinou a viver.
Guardado em mim
Está o teu legado,
O teu retrato,
O jeito guerreiro de ser.

Sou o reflexo da tua coragem,
Tentando seguir com galhardia.
Tuas palavras ainda vêem-me
Numa doce companhia.

Sei que vou te encontrar um dia,
Sufocar essa solidão,
Que aqui dentro silencia.

domingo, 2 de agosto de 2009

UM ANJO POLIVALENTE

(...um lindo flagrante de um momento inesquecível)

UM ANJO POLIVALENTE
Para Fernando Costa Tormin

_ Mamãe,
essa camisa combina com essa calça?
Lindinho, o Fernando!
Uma criança adorável,
carinhosa, ordeira e preocupada conosco.

Certo dia dirigiu-se ao pai,
ao despedir-se para a Escola:
_ Papai, não precisa dar dinheiro
pra gente tomar lanche!
Guarde para você pagar suas dívidas!
Era tão pequeno que a palavra dívidas
foi pronunciada de forma muito engraçada.

Não posso esquecer a meiguice,
os olhos lindos e tristes...
Gostava de cantar e encantava a todos.
inundava de luz qualquer ambiente.

Certa vez um policial de trânsito nos abordou.
Fernando tomou a defesa:
_ Minha mãe é polícia, quero vê!
Ela prende você!
Sorrindo, o guarda nos desculpou.

Garoto educado, trabalhador,
ótimo em tudo.
Um presente de Deus para a vida!
Um anjo da guarda polivante.

Hoje, um homem!
Um lindo rapaz!
Dono de todas as virtudes
Um bom filho, um bom colega...
Para ele nunca há problemas,
sempre soluções.
Um espírito evoluído
que tivemos o privilégio de chamar de filho.

sábado, 1 de agosto de 2009

SORRISO


SORRISO
(Genaura Tormin)

O que tenho a oferecer
não é nada de valor.
Nem é ouro, nem é prata.
Apenas um sorriso terno
e uma lembrança gasta.

Pode ser manhoso,
escancarado, gostoso,
capaz de desnudar-me as faces,
a alma guerreira, entusiasmada,
e o coração andejo,
meio encabulado, travesso...

Mas esse sorriso,
pode ser mais que isso.
Pode ser prece,
que se agasalha
na alma que agradece,
pelo amor que floresce.

LEVE, LIVRE & SOLTA!


Sejam bem vindos!
Vocês alegram a minh'alma e meu coração.

Era uma luz no fim do túnel e eu não podia perder.
Era a oportunidade que me batia à porta.
Seria uma Delegada de Polícia, mesmo paraplégica!
Registrei a idéia e parti para o confronto.
Talvez o mais ousado de toda a minha vida.
Era tudo ou NADA!
(Genaura Tormin)


"Sou como a Rocha nua e crua, onde o navio bate e recua na amplidão do espaço a ermo.
Posso cair. Caio!
Mas caio de pé por cima dos meus escombros".
Embora não haja a força motora para manter-me fisicamente ereta, alicerço-me nas asas da CORAGEM, do OTIMISMO e da FÉ.

(Genaura Tormin)