PLANTIO

PLANTIO
PLANTIO
(Genaura Tormin)

Deus,
Senhor dos mares e montes,
Das flores e fontes.
Senhor da vida!
Senhor dos meus versos,
Do meu canto.

A Ti agradeço
A força para a jornada,
A emoção da semeadura,
A alegria da colheita.

Ao celeiro,
Recolho os frutos.
Renovo a fé no trabalho justo,
Na divisão do pão,
. E do amor fraterno.

sexta-feira, 22 de abril de 2011

CHEGOU A PÁSCOA


CHEGOU A PÁSCOA!

Genaura Tormin

Eu não sei o que poria
Dentro de um ovo de páscoa
Para um desafeto.
Esse vocábulo
Não existe no meu dicionário.
Não gosto do “D” que o inicia.

Para começar,
Nem sei o que é isso.
Nunca experimentei.
Se ofendo, peço desculpas,
Se me ofendo, relevo.
Para mim,
Tudo é alegria,
Uma simbiose fraterna,
Repleta de harmonia.

Um círculo vicioso,
Alimentado pelo respeito mútuo,
Pelo carinho,
Pelo afeto dengoso,
Que se debulham em madrigais,
A cada encontro.

2 comentários:

  1. Olá amada Genaura,
    Nem consigo te imaginar tendo desafetos. Tua alma é tão pura e despojada de rancores, desamor, mágoas, que não caberia em teu coração coisas desse tipo. Eu poria dentro de um ovo de Páscoa um "afeto dengoso" e o enviaria com mil beijos para ti.
    Uma Páscoa recheada de amor, paz e harmonia
    para todos aí.
    Beijo grande,
    Maria Paraguassu.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Genaura!!! Pra vc, eu colocaria o meu coração, com todo amor e sabedoria que ele contèm. E embrulharia este Ovo, com todo o meu carinho!!!
    Beijinhos!!! Felicidades e um ótimo feriado!!!

    ResponderExcluir

O seu comentário significa carinho e aprovação. Fico cativada e agradeço. Volte sempre! Genaura Tormin

LEVE, LIVRE & SOLTA!


Sejam bem vindos!
Vocês alegram a minh'alma e meu coração.

Era uma luz no fim do túnel e eu não podia perder.
Era a oportunidade que me batia à porta.
Seria uma Delegada de Polícia, mesmo paraplégica!
Registrei a idéia e parti para o confronto.
Talvez o mais ousado de toda a minha vida.
Era tudo ou NADA!
(Genaura Tormin)


"Sou como a Rocha nua e crua, onde o navio bate e recua na amplidão do espaço a ermo.
Posso cair. Caio!
Mas caio de pé por cima dos meus escombros".
Embora não haja a força motora para manter-me fisicamente ereta, alicerço-me nas asas da CORAGEM, do OTIMISMO e da FÉ.

(Genaura Tormin)