PLANTIO

PLANTIO
PLANTIO
(Genaura Tormin)

Deus,
Senhor dos mares e montes,
Das flores e fontes.
Senhor da vida!
Senhor dos meus versos,
Do meu canto.

A Ti agradeço
A força para a jornada,
A emoção da semeadura,
A alegria da colheita.

Ao celeiro,
Recolho os frutos.
Renovo a fé no trabalho justo,
Na divisão do pão,
. E do amor fraterno.

segunda-feira, 14 de março de 2016

FELIZ ANIVERSÁRIO, FREDERICO!



FELIZ ANIVERSÁRIO, Frederico Tormin
(Genaura Tormin)

Eu me lembro muito bem:
Há quarenta anos passados,
Numa simbiose de afeto, de amor exacerbado,
Pulsava no meu ventre abaulado
Um verso de amor inacabado,
Que se completaria no vagar do tempo.


Com as águas de março,
Numa manhã fagueira,
Não pude conter o pranto
Ao ter-te em meus braços,
Numa imagem bonita, roliça,
A quem eu chamaria de MEU FILHO!

Entre nós,
Era tanto amor!
Ora eu era flor, ora jardim, 
Ora campo de futebol
Do teu coraçãozinho/menino.

Nesse teu jeito de amar,
Em frases balbuciadas, 
De sorriso farto e alegria escancarada,
Eu me deixava ficar,
Encantada, enamorada, 
Irradiando poesia,
Feito a loba que protege a cria.

E o tempo passou! 
Parceira fui do teu caminhar!
E assim, passei a poetar
Na cartilha do coração,
Os mais belos versos,
A mais linda canção!
Uma história de amor
No céu de nossas vidas!

E hoje, meu filho,
Pensar que essa data aniversaria,
Faz-me feliz, contente,
Ao ver-te caminhar,
Seguir em frente, 
Nos veios da dignidade,
No exercício do Bom Combate!

Aqui estou eu,
Como estarei sempre,
Para te abraçar 
E te entregar a Deus!
Feliz Aniversário!


Beijos dos teus pais: 
Genaura e Alfredo
Gyn, 13.03.2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O seu comentário significa carinho e aprovação. Fico cativada e agradeço. Volte sempre! Genaura Tormin

LEVE, LIVRE & SOLTA!


Sejam bem vindos!
Vocês alegram a minh'alma e meu coração.

Era uma luz no fim do túnel e eu não podia perder.
Era a oportunidade que me batia à porta.
Seria uma Delegada de Polícia, mesmo paraplégica!
Registrei a idéia e parti para o confronto.
Talvez o mais ousado de toda a minha vida.
Era tudo ou NADA!
(Genaura Tormin)


"Sou como a Rocha nua e crua, onde o navio bate e recua na amplidão do espaço a ermo.
Posso cair. Caio!
Mas caio de pé por cima dos meus escombros".
Embora não haja a força motora para manter-me fisicamente ereta, alicerço-me nas asas da CORAGEM, do OTIMISMO e da FÉ.

(Genaura Tormin)